quarta-feira, 26 de abril de 2017

Lei da terceirização: conheça alguns benefícios e desvantagens

Divulgação/Governo de São Paulo
Escolas agora estarão autorizadas a fazer a terceirização do trabalho de professores
Sancionada pelo governo no fim de março, a lei da terceirização entrou em pauta nas últimas semanas. Essa lei passou a permitir que as empresas terceirizem as atividades-fim, e não apenas as atividades-meio. Uma escola, por exemplo, agora pode terceirizar também a contratação de professores, enquanto, antes, isso poderia ser feito apenas com serviços como alimentação e limpeza.

Devido à diminuição da burocracia ocasionada pela terceirização , alguns especialistas acreditam que fica mais fácil para o empregador fazer contratações, fomentando a geração de empregos, principalmente nos casos para micro e pequenos empresários.

Em relação às médias e grandes empresas, a composição da equipe pode se tornar mais ágil e menos burocrática. Isso acontece porque, atualmente, existe uma gestão de headcount bastante rigorosa, que exige muitas aprovações para uma nova contratação.

No entanto, as novas regras não representam necessariamente uma redução nos custos com funcionários, pois a empresa contratante precisrá arcar com 100% do salário e dos encargos, além de benefícios e de uma taxa de administração que gira em torno de 15%.

Além disso, a nova lei também pode ser prejudicial pelo fato de reduzir o vínculo empregatício dos funcionários, o que pode fazer com que haja um grande crescimento na rotatividade. Isso pode gerar perda de produtividade e engajamento, além de enfraquecer a cultura organizacional.

Para os trabalhadores, a nova lei pode ser prejudicial por causar o enfraquecimento do vínculo empregatício com a companhia. Assim, benefícios como vale-refeição, vale-transporte e plano de saúde podem ser reduzidos.

É importante que o empregador confira detalhadamente se a empresa contratada para fazer a terceirização atende as exigências da lei, se possui um CNAE que permita alocação de pessoas e um bom fôlego financeiro para arcar com eventuais passivos trabalhistas. É necessário que o capital social deve seguir os requisitos da lei 13.429, que é dado pelo número de empregados – em empresas com até cem colaboradores, o capital mínimo é de R$ 100 mil.

Fonte: Economia - iG @ http://economia.ig.com.br/2017-04-26/terceirizacao.html

Nove verdades e uma mentira sobre a reforma da Previdência

“Nove verdades e uma mentira” é uma brincadeira que está movimentando as redes sociais nos últimos dias. O Portal Brasil também entrou na corrente para ajudar a explicar um tema muito importante para o futuro dos brasileiros. Vamos falar de reforma da Previdência. Você sabe qual é a mentira?
1. O rombo da Previdência alcançou R$ 149,7 bilhões em 2016, um crescimento de 74,4%.
2. Despesas elevadas com Previdência tiram dinheiro da Saúde, da Educação e de investimentos.
3. Mesmo sem a Desvinculação das Receitas da União (DRU), a Previdência ainda seria deficitária.
4. O rombo da Seguridade Social alcançou R$ 258,7 bilhões em 2016.
5. Reforma da Previdência vai tornar sistema mais rígido com os mais ricos e mais justo com os mais pobres.
6. Depois de chegar aos 65 anos, brasileiro vive, em média, mais 18 anos.
7. Políticos e servidores públicos vão entrar na reforma.
8. Com a reforma da Previdência, juros e inflação caem e País volta a crescer.
9. Sem a reforma da Previdência, em alguns anos, o Brasil pode ficar sem dinheiro para pagar salário de servidores, aposentadoria e necessidades básicas do País.
10. Para se aposentar, será preciso trabalhar por 49 anos.
A MENTIRA
Não será preciso trabalhar por 49 anos para se aposentar (item 10). Quando você alcançar os 65 anos de idade e 25 de contribuição, a sua aposentadoria estará garantida. No caso das mulheres, a idade mínima é de 62 anos. A regra também define uma espécie de prêmio para quem fica mais tempo no mercado de trabalho, ou seja, quanto mais tempo de contribuição, maior o benefício a receber.
Fonte: Portal Brasil, com informações da Secretaria de Previdência

Entenda quais as principais mudanças na reforma trabalhista proposta pelo governo


A reforma trabalhista proposta pelo governo, que será votada ainda nesta terça-feira (25) na Comissão Especial da Câmara dos Deputados e posteriormente pelo plenário da Câmara na quarta e quinta-feira, 26 e 27, tem despertado grandes debates na sociedade.
Pela proposta do relator, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), haverá a adoção da arbitragem, o fortalecimento da negociação coletiva e outras soluções extrajudiciais para resolução de conflitos.
O portal da DINHEIRO listou os principais pontos do que será votado para que você entenda o que vai mudar nas relações de trabalho. Confira.
Acordo entre patrões e empregados vale mais
Ficarão acima da legislação vigente os acordos entre as partes, sobrepondo-se portanto à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) criada em 1943,  sancionada pelo presidente Getúlio Vargas. A ideia é atualizar as relações de trabalho e modernizá-las, segundo o relator, em função das mudanças nas últimas décadas. Na pratica, isto significa que banco de horas, férias, plano de cargos e salários são assuntos que podem ser negociados acima da lei, de comum acerto entre as partes.
Trabalho Intermitente
O texto do relator cria o trabalho intermitente, pago por hora trabalhada em vez de jornadas tradicionais prescritas na CLT.  Neste caso, a empresa terá que avisar o trabalhador que precisará dos seus serviços com cinco dias de antecedência. É o típico caso de bares, restaurantes e casas noturnas, que fazem contratação sem horários fixos de trabalho. Atualmente a CLT prevê apenas a contratação parcial.
Jornada de Trabalho
Empregador e trabalhador poderão negociar a carga horária em um limite de até 12 horas por dia e 48 horas por semana. A jornada de 12 horas, entretanto, só poderá ser realizada desde que seguida por 36 horas de descanso.
Férias
A proposta prevê o parcelamento das férias em até três vezes, com pagamento proporcional aos respectivos períodos. A ressalva é que uma das frações deve corresponder a ao menos duas semanas de trabalho. Hoje, a CLT prevê jornada máxima de 44 horas semanais e as férias podem ser divididas apenas em dois períodos, nenhum deles inferior a dez dias.
 Horas extras
A legislação atual considera trabalho em regime de tempo parcial aquele cuja duração não passe de 25 horas semanais. Pela lei atual é proibida a realização de hora extra no regime parcial. A proposta do governo aumenta essa carga para 30 horas semanais, sem a possibilidade de horas suplementares por semana. Também passa a considerar trabalho em regime parcial aquele que não passa de 26 horas por semana, com a possibilidade de seis horas extras semanais.
Banco de Horas
Se o banco não for compensado em no máximo seis meses, as horas terão que ser pagas como extras, ou seja, com um adicional de 50%, como prevê a Constituição. O texto também atualiza a CLT, que previa um adicional de 20% para o pagamento das horas extras, para 50%, como está previsto na Constituição.
Sindicatos
A reforma mexe com o poder dos sindicatos. Pela proposta, o  imposto sindical fica extinto e passa a ser opcional. Hoje, uma vez ao ano, é descontado o equivalente a um dia de salário do trabalhador.  O texto ainda prevê que os sindicatos não mais farão a homologação em casos de demissão.
Programa de seguro-emprego
Trabalhadores e empregadores, de acordo com o projeto de lei, deverão decidir juntos sobre a entrada no Programa de Seguro-Emprego (PSE).
Home Office
Regras sobre o trabalho por telefone, Internet e smartphone  ficarão nas mãos de trabalhadores e empregadores, de acordo com o projeto. Em outras palavras, negociação entre as partes, soberana.
Trabalho terceirizado
O texto do relator prevê uma quarentena que impede que o empregador demita um trabalhador efetivo para recontratá-lo como terceirizado em menos de 18 meses. Além disso, um trabalhador terceirizado deverá ter as mesmas condições de trabalho dos efetivos de uma mesma empresa.

Fonte: IstoÉ Dinheiro

Dez multinacionais controlam o mercado mundial de alimentos

Como consequência da globalização, um número reduzido de empresas multinacionais controla uma parte importante do mercado mundial de alimentos. O resultado é que tais firmas concentram uma enorme influência para determinar como a comida é repartida no mundo. Potencialmente, também têm a capacidade de determinar ações que podem ajudar a aliviar a fome no planeta.

Por isso, a Oxfam, ONG baseada na Grã-Bretanha, está realizando há três anos uma campanha pública entitulada Behind the Brands (Por trás das marcas). Por meio dela, discute as políticas de compra de alimentos dessas grandes multinacionais – e a maneira como isso influi no mercado da comida.

As dez maiores empresas que estão no foco da campanha são Nestlé, PepsiCo, Unilever, Mondelez, Coca-Cola, Mars, Danone, Associated British Foods (ABF), General Mills e Kellogg’s. Elas foram selecionadas por encabeçar mundialmente o volume de vendas do setor. Todas são europeias ou norte-americanas. Dominam os setores de produtos lácteos, refrigerantes, doces e cereais, entre outros.

A Oxfam diz que essas empresas faturam juntas US$ 1,1 bilhão (R$ 3,4 bilhões) diariamente e empregam milhares de pessoas. “Há uma ilusão de opções. Você vai a um supermercado e vê diversas marcas, mas muitas são das mesmas dez empresas”, afirmou Irit Tamir, da Oxfam América.

Concentração de mercado

Essas empresas operam em mercados globais em que a produção de alguns itens está concentrada em poucas empresas. Irit Tamir aponta como exemplo três delas, que atuam na cadeia de valor do cacau: Mars, Mondelez e Nestlé. Elas controlam 40% do comércio mundial nessa área.Somente entre 3,5% e 5% do valor de uma barra de chocolate vai para o pequeno produtor rural, segundo a ONG. Enquanto isso, no setor de refrigerantes, Coca-Cola e Pepsi se tornaram as maiores compradoras de açúcar do mundo.

Classificações

A Oxfam estimou o impacto das políticas dessas empresas sobre algumas variáveis: posse da terra, mulheres, camponeses e trabalhadores, transparência, clima e água.

Assim, a ONG criou uma tabela de classificação da responsabilidade social na política de aquisição de alimentos dessas dez corporações. As atitudes positivas rendem pontos na tabela.

Depois, os ativistas fizeram uma campanha para que as empresas minimizem o impacto que exercem sobre setores específicos. “Pedimos que as grandes empresas do setor de chocolate tratem melhor as trabalhadoras”, disse Irit Tamar, a título de exemplo.

A organização também pediu às empresas de refrigerantes que não tolerem conflitos de terra em relação ao cultivo de cana-de-açúcar. Já as firmas de cereais General Mills e Kellogg’s foram convidadas a reduzir o impacto climático de suas atividades.

A boa notícia é que muitas empresas responderam bem à campanha, segundo a Oxfam. A evolução delas na tabela ao longo de três anos de campanha é positiva.

Em fevereiro de 2013, por exemplo, a empresa com melhor classificação entre as dez grandes, a Nestlé, tinha apenas 38 pontos de 70 possíveis. Em 2016, a pontuação da mesma companhia subiu para 52.

Transparência

As ações adotadas pelas empresas vão de políticas de transparência corporativa a estratégias de redução de danos ambientais provocados por cultivos, diz a Oxfam.

O fato de essas grandes empresas parecerem estar adotando políticas mais socialmente responsáveis é uma consequência positiva, pois espera-se que o poder dessas corporações continue aumentando no futuro.

“Estamos presenciando cada vez mais concentração (de mercado) entre poucas empresas”, disse Tamar. “As grandes compram as pequenas”.
A Oxfam pede que as empresas empreguem bem esse poder econômico que estão adquirindo e afirma que ficará vigilante.

Fonte: BBC Brasil

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Informática nos Concursos: Intranet, Extranet e Internet

Internet

A Internet é a rede mundial de computadores, composta por todos os computadores do mundo ligados em rede. Seu funcionamento é baseado na Pilha de Protocolos TCP/IP. Neste exato momento, é muito provável que você esteja conectado à Internet lendo este texto, rs.

A Internet possibilita que computadores e outros dispositivos inteligentes troquem dados e informações entre si, por meio de uma infinidade de serviços, tais como correio eletrônico, mensageria, redes sociais, armazenamento em rede, fóruns, sistemas de gerenciamento e outros serviços. A Internet possibilita que este texto, por exemplo, seja lido em qualquer local do mundo, uma vez que ele está disponível de forma irrestrita na rede mundial de computadores.

Intranet
A Intranet, por sua vez, também é uma rede de computadores, que disponibiliza um conjunto de serviços análogo à Internet, também baseada na pilha de protocolos TCP/IP. Porém, a Intranet é restrita a um local físico. Ou seja, é uma rede fechada, interna e exclusiva.

Empresas, órgãos públicos e outros tipos de organizações normalmente possuem Intranets, pois precisam de uma rede de computadores similar à Internet para manter os seus serviços, como os seus Portais Corporativos e outros recursos on-line. Contudo, por questões de segurança, não há interesse que tais serviços estejam disponíveis para livre acesso pela Internet. Daí a necessidade de se implantar uma Intranet.

Extranet
A Extranet, por fim, funciona como uma extensão da Intranet a computadores que estejam fora dos domínios físicos da Intranet.

Não raro, é necessário que parceiros, clientes, fornecedores, e até mesmo funcionários da organização precisem acessar alguns serviços da Intranet, mesmo estando fora da organização. E, nesse contexto, a Extranet torna-se ferramenta essencial para a organização.

Eu mesmo, cito a minha experiência como servidor público. Meu órgão, a Câmara dos Deputados, disponibiliza alguns dos serviços da Intranet via Extranet para os seus servidores. Mesmo assim, por motivos de segurança ou outras razões organizacionais, pode a organização optar por disponibilizar ou não determinados serviços na Extranet.

Quer um exemplo?

Pela Extranet da Câmara dos Deputados, eu posso marcar minhas férias no sistema da Casa. Por outro lado, não consigo acessar o sistema do Ponto Eletrônico. Este último somente pode ser acessado de computadores da Intranet.

O acesso à Extranet, via de regra, pode ocorrer de duas formas: ou por meio de um acesso exigindo usuário e senha, para garantir a autenticidade do usuário, ou ainda por uma rede privada virtual (VPN), que, em termos práticos, cria uma conexão segura tunelada entre o dispositivo fora da Intranet e a Intranet propriamente dita.

Leia mais: Intranet
Leia mais: Extranet

Fonte: Estratégia Concursos

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Possíveis Temas de Redação para o ENEM 2016


O tema da redação do ENEM é escolhido em meio a assuntos que são abordados no nosso cotidiano. Acontecimentos políticos, sociais, ambientais e culturais do Brasil e do mundo podem ser temas da prova do exame.

Alguns assuntos são mais prováveis, devido a sua grande repercussão política ou por fazerem parte das discussões feitas pela sociedade.

A falta de água

Pode ser um possível tema já que este problema faz parte há mais de um ano da vida dos moradores do sudeste e persiste há mais de um século no cotidiano de nordestinos. A prova pode solicitar que o assunto seja discutido sobre esse viés, questionando as políticas de públicas de combate à seca e o comportamento da população para evitar a falta d’água.

As manifestações políticas

Que estão acontecendo nas ruas, mas que participaram das redes sociais, como essas ferramentas de comunicação e interação “virtual” estão despertando o interesse político e levando às pessoas as ruas. É interessante falar sobre a potencialidade da ferramenta na comunicação das pessoas, no debate de assuntos e de levar a informação ao público. Também é possível falar sobre a confiabilidade do que passa pelas redes sociais, pois nem sempre as informações são corretas.

A mobilidade urbana

É um problema que afeta vários países no mundo, praticamente todas as cidades grandes, principalmente, do Brasil sofrem com o excesso de carros particulares, poucas linhas de transporte público e falta de incentivo de transportes alternativos, como as bicicletas. A prova pode pedir ao estudante indicar alternativas para melhorar a mobilidade urbana e falar sobre o conflito entre os diferentes públicos que utilizam as vias de trânsito, como o pedestre, o ciclista, o motociclista e o motorista de carro.

Preconceito racial

Que alguns atletas ainda sofrem no meio esportivo, principalmente, em relação às torcidas que, em momentos de fúria, xingam jogadores com palavras preconceituosas, além de qualquer outra forma de preconceito racial, também pode ser um tema da redação do ENEM 2016.

O conceito da família

Deste século, com o objetivo de debater sobre a adoção de crianças por casais homossexuais e sobre a nova norma na guarda compartilhada de crianças, quando os pais se divorciam.

Dengue, Zica e Chikungunya

O tema pode pedir para falar dos novos casos das doenças, das campanhas de combate e sobre a conscientização da população. Os crescentes casos de microcefalia, que ainda não tem sua ligação comprovada com a transmissão do mosquito aedes aegypti.

As campanhas de vacinação

Principalmente contra o Sarampo e o HPV, para meninas de até 13 anos de idade. Um assunto batido, mas que o estudante deve estar sempre preparado é sobre os problemas no Sistema Único de Saúde (SUS) como falta de médicos, atrasos, grandes filas de espera e falta de equipamentos, além do Programa Mais Médicos.

O limite da estética e da saúde

Também é um bom assunto. Até onde o ser humano pode ir para atingir a sua exigência em relação à beleza. O busca pelo corpo perfeito, com dietas, cirurgias plásticas e produtos, tem limite?

A sustentabilidade de empresas e o aquecimento global

São assuntos comuns nessa área. Mas, no Brasil, a Política Nacional de Resíduos Sólidos é um tema que agora está sendo muito debatido nos municípios do país. Então é importante saber sobre o que é essa política, o dever dos governos municipais e como a população pode cobrar a coleta seletiva.

Intolerância religiosa

O ataque à revista Charlie Habdo pode exemplificar o tema. Mas muito mais do que um caso isolado, a intolerância religiosa é grande tanto no Brasil como em outros países. Ao debater esse tema, precisamos lembrar da laicidade do Estado e do respeito aos diferentes tipos de crenças e rituais religiosos, podendo destacar, no caso do Brasil, o grande preconceito existente com religiões de origem africana.

Justiça com as próprias mãos

Tema bastante polêmico em 2014 e que pode ser discutido com mais imparcialidade esse ano. O combate à violência através da justiça com as próprias mãos é válido? Definições de justiça, casos de linchamentos, rebeldia com a ordem e segurança públicas são alguns pontos que abordam essa temática.

As 5 matérias de matemática que mais caem no ENEM


A prova de Matemática e suas Tecnologias aterroriza grande parte daqueles que querem a tão sonhada vaga na universidade via Enem. As 45 questões dessa área do conhecimento são repletas de gráficos, esquemas e enunciados complexos que, na verdade, são um teste para a sua capacidade de interpretação e para o seu domínio dos conceitos matemáticos.

Uma dica muito valiosa é sempre procurar a aplicação daquele conteúdo que você está estudando. Isso te ajudará não só em relação à sua capacidade de entendimento, mas também te deixará mais preparado para resolver as tão temidas situações-problema propostas na prova. Como a gente sabe que a lista de matérias a serem estudadas é vasta, fizemos uma análise de todas as edições do Enem desde 2009 e chegamos a uma lista dos temas que costumam aparecer com mais frequência

  1. Grandezas Proporcionais (24%): 
    Saber lidar com proporções e razões pode ser a grande chave para você mandar bem, já que praticamente 1 em cada 4 questões foram desse tema. E boa notícia: o conceito de comparação para achar equivalência não é algo complexo!
  2. Geometria Espacial (13%):
    Esse conteúdo engloba o estudo de figuras com mais de duas dimensões  os famosos sólidos geométricos, como, por exemplo: prisma, cilindro, pirâmide, cone e esferas. Os exercícios deste tema cobram principalmente o cálculo do volume e as principais razões de distância de cada polígono.
  3. Aritmética (10%):Também costumam aparecer as chamadas “progressões aritméticas” que buscam padrões em uma sequência de números.
  4. Funções (10%):As funções de primeiro e segundo graus costumam ser as mais recorrentes na prova. Com menos intensidade também aparecem as funções trigonométricas, exponenciais e logarítmicas.
  5. Estatística (9%):A Estatística é a área da matemática que nos permite coletar, organizar e, principalmente, interpretar os números dentro de um conjunto dos resultados. Cálculo de médias, medianas e outras medidas padrões são bastante cobradas na prova de matemática do Enem.

As 5 matérias de Biologia que mais caem no ENEM


Na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, biologia compõe boa parte das questões. Para você não ficar perdido na hora de estudar, listamos os cinco assuntos que mais apareceram nas últimas provas de biologia Enem.

Biologia Enem: as matérias que mais caem

Ecologia 🐵 (41%)

A Ecologia é a ciência que estuda as relações dos seres vivos entre si e destes com o meio que estão inseridos. De populações até biomas, é o conteúdo que de longe cai mais no Enem (normalmente contextualizando com questões ambientais e/ou mudanças climáticas).

Citologia 🔬 (17%)

Aqui é tudo sobre a célula. Seus aspectos morfológicos, bioquímicos e muito mais. Não deixe de ir para o Enem sem saber qual é a função da mitocôndria.

Fisiologia 👃 (10%)

O estudo sobre a anatomia e a fisiologia humana aborda os sistemas do nosso corpo (nervoso, por exemplo). Além disso, também encaixa aqui a reprodução humana e métodos contraceptivos.

Microbiologia 💉 (9%)

Bactérias, fungos e protozoários são todos microorganismos estudados pela microbiologia. Destaque aqui especificamente para o vírus, que costuma aparecer mais.

Genética 👨‍👨‍👦‍👦 (6%)

Muitas questões do Enem falam sobre o DNA e sua estrutura. Outras também abordam genes e o mecanismo de síntese proteica. Saber tudo sobre genética é muito importante para fazer uma boa prova!

As 5 matérias de Química que mais caem no ENEM

Química é cobrada nas questões de Ciências da Natureza, presentes no primeiro dia da prova do Enem. Para ajudá-lo a estudar, fizemos uma análise das provas do Enem desde 2009, e identificamos os 5 conteúdos mais frequentes. 

Química Enem: As 5 matérias que mais caem:

Meio Ambiente 🚗

Questões do Enem sobre problemas ambientais podem cobrar conhecimentos de Química, Geografia ou Biologia. Isso acontece devido ao impacto que tais contratempos têm para diferentes áreas de estudo. Fique atento às reações químicas de chuva ácida, destruição da camada de ozônio (O3),  poluição da água e lixo (radioatividade,reciclagem, compostos biodegradáveis, e outros).

Estequiometria➗

A estequiometria é o assunto de química do Ensino Médio que permite prever a quantidade de produto formado a partir da quantidade de reagentes. No cálculo estequiométrico, reagentes e produtos são grandezas proporcionais. Assim, muitos exercícios podem ser resolvidos por uma regra de três. Estude grandezas químicas como mol, conversão de unidades de medida, e Lei dos Gases Ideais.

Equilíbrios Químicos🔙

O equilíbrio químico existe em reações químicas reversíveis, ou seja, que podem ocorrer no sentido direto e no sentido inverso. O equilíbrio químico é chamado de equilíbrio dinâmico porque a reação continua acontecendo, mas a velocidade da reação direta e da reação inversa é a mesma. É importante estudar, também, equações de equilíbrio químico e constante de ionização.

Química Orgânica🍹 

Os compostos orgânicos estão presentes em diversas situações do cotidiano, em objetos de plástico, fibras de tecidos, frutas, combustíveis, sabonetes, bebidas alcoólicas, e outros. Por isso, o Enem adora este assunto de química.  Os compostos orgânicos possuem átomos de hidrogênio (H) e oxigênio (O), que podem ser representados por um simples traço (_). Estude as principais características dos compostos orgânicos, suas reações químicas, e saiba identificar as funções orgânicas (alcoóis, fenóis, éteres, ésteres, etc.).

Eletroquímica🔌

A eletroquímica envolve o uso da eletricidade para obter substâncias químicas, como a soda cáustica, o alumínio metálico, e outros. Este conteúdo é sobre pilhas, baterias e eletrólise. Entenda o impacto de não descartar pilhas e baterias corretamente, o funcionamento de reações de oxirredução e da eletrólise.

As 5 matérias de Física que mais caem no ENEM


Como a gente sabe que a lista de matérias a serem estudadas é vasta, fizemos uma análise de todas as edições do Enem desde 2009 e chegamos a uma lista dos conteúdos que costumam aparecer com mais frequência de física na prova.


Confira: AS QUESTÕES QUE MAIS CAEM NA PROVA DE FÍSICA DO ENEM


No geral, a prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias aterroriza grande parte daqueles que querem a tão sonhada vaga na universidade principalmente pela parte de física Enem. As questões dessa área de conhecimento são colocadas em situações do cotidiano e atualidades, relacionando temas do dia a dia com conteúdos específicos de física.

Física Enem: as matérias que mais caem

Mecânica (33%):
Parte da física que estuda tudo sobre movimentos (e o repouso). Das leis de Newton até a Cinemática, é o assunto que tem a maior chance de aparecer na prova do Enem.


Eletricidade e Energia (29%):
Também sempre presente em questões sobre o nosso cotidiano (e até mesmo relacionado a atualidades, como a questão das represas e geração de energia), o estudo sobre os fenômenos associados às cargas elétricas é divido em: eletrostática, eletrodinâmica e eletromagnetismo.

Ondulatória (20%): 
Uma onda é uma sucessão de pulsos regulares e periódicos propagando-se num meio. A ondulatória estuda tanto as ondas do mar, chamadas de mecânicas, quanto as ondas eletromagnéticas, como a luz.

Termodinâmica (5%): Calor refere-se à quantidade de energia térmica transferida de um corpo ou região a outro(a), devido à diferença de temperatura entre ambos. A transformação de energia térmica em trabalho é exatamente o que a Termodinâmica estuda.

Óptica (5%): Você sabe a diferença de uma lente convergente de uma divergente ou de onde vem a luz e como ela se propaga até nós? A Óptica estuda exatamente isso e todos os fenômenos associados a luz.